Os Celtas e as Entrelinhas das Iluminuras

Na Idade Média, devido à herança judaica, a palavra tinha importância capital na reprodução dos temas dos Antigo e Novo Testamento e as imagens eram proibidas,

Como disse anteriormente neste post, o cristianismo chegou ao povo Celta através de monges e escravos. Nos mosteiros desta região, havia o trabalho de copiar as passagens bíblicas mais importantes, relacionadas principalmente com os 4 evangelhos.

As chamadas iluminuras, são as letras iniciais de cada página copiada, onde a letra se funde gradativamente com imagens e símbolos.

CHI-RO

Isto nos fica mais claro quando analisamos o livro de Kells, ou Evangeliário de São Columba, datado de cerca de 800 d.C. que foi confeccionado pelos monges celtas, sendo a principal obra do cristianismo irlandês.

A página CHI-RO, que significa Cristo, é a mais celebrada página do Livro de Kells (XPI h generatio – Christi autem generatio). Mas se percebermos os detalhes, vemos inserida nela uma série de símbolos celtas relacionados a sua religião primitiva, ou druidismo. Continuar lendo

A Invasão Cristã no Mundo Celta – Substituição da Espada pelo Missionário

Diferente da forma habitual de invasão do cristianismo, através de guerras em conjunto com o império romano, em uma relação íntima de poder, a chegada deste sistema de crenças entre os celtas se fez de outra forma. Como a cristianização da Irlanda não foi nesta aliança império/igreja, estruturas formais de demonstração do “poder divino” não se fazem presentes.

Um dos fatos que colaborou para este tipo de invasão era que os celtas não possuíam grandes centros administrativo-políticos, mas pequenos vilarejos agrícolas interligados. Mas esta forma campestre de viver não excluía sua forma feroz de batalhas, sendo as guerras uma parte comum em sua cultura. Como suas vidas eram regidas basicamente pelos fatores climático-astronômicos, suas representações religiosas eram relacionadas à Natureza. Continuar lendo