Uros e o Lago Titicaca

Quando eu estava viajando pelo Peru a caminho de Macchu Pichu, passei pela cidade de Puno, uma cidade central para quem quer visitar o Lago Titicaca pelo lado peruano, que é um lago nos Andes que fica na fronteira entre Peru e Bolívia.

A cidade tem uma estrutura muito precária para hospedagem, principalmente para quem viaja de carro como eu. Além do mais, como em todo o Peru, haja  pollo (galinha) para comer. A cidade fica a 3.812m acima do nível do mar, e por conta da altitude eu só me sentia confortável com chá de folha de coca, que é vendida na feira como nossa hortelã.

A maioria dos turistas que vão conhecer o Lago Titicaca embarcam por Copacabana, na Bolívia, mas foi um país que nunca tive coragem de entrar de carro pelas histórias que a gente escuta dos viajantes nas paradas das estradas.

De Puno fui conhecer as ilhas flutuantes de Uros, no meio do Lago. Estas ilhas são artificiais, construídas pelos nativos peruanos e bolivianos para morar.  Existem evidências que os Uros existem desde a época pré-colombiana, de uma cultura que desenvolveu este tipo de habitação no meio do lago para sua maior segurança.

Os Uros são feitos de uma planta herbácea chamada Totora (Scirpus californicus). Estas “camas” passam por um processo constante de manutenção, e tudo é feito em cima dos Uros, inclusive existem escolas, pousadas e bares. Os habitantes dos Uros vivem basicamente do turismo e do artesanato.

Para quem gosta de conhecer culturas diferentes, tenho certeza que ficará encantado com um passeio de barco com os moradores dos Uros.

América do Sul de 4 x 4

Tenho como hobbie viajar. A maioria foi feita de 4×4, e assim eu fui de Ushuaia no círculo polar antártico a Macchu Pichu no Peru.

Sempre fotografando, procurando museus e eventos culturais. Assim, junto com meus pensamentos sobre arte cultura e micos, eu irei colocar aqui minhas viagens, os melhores lugares, onde se hospedar e os perrengues que passei, afinal, sem guia, sem hotel reservado, sem saber onde ficava o próximo posto de gasolina e passando por fronteiras em greve no meio no “nada” foi muito maneiro.

Ok. Você não precisa fazer isso que fiz. Use suas milhagens, procure no sites de busca, mas longe dos “lugares comum” das agências de viagens, temos muito mais a descobrir. Permita-se! Abaixo coloco uma prévia dos lugares, e tenho certeza que você vai se apaixonar!