Comemorando Hercule Florence

Radicado no Brasil desde jovem, o desenhista francês que estudou o canto das aves e técnicas de impressão é autor do mais antigo registro fotográfico das Américas

Olá amigos, sei que passei um “longo e tenebroso verão” sem escrever nada, mas confesso que fui (além de displicente) tomada por uma enxurrada de demandas de Artscience.

Fechei meu ano fazendo um curso intensivo de uma semana com imersão total na ferramenta Metaphorming e em inglês.

Depois, vieram as festas de fim de ano, entrega de relatório do TCC, conversa com orientadores, enfim, trabalhando que nem louca nas férias.

Na realidade ainda não acabou, no sábado agora estarei em um evento no Museu de Astronomia aqui no Rio de Janeiro falando sobre espólios de guerra, a partir do filme maravilhoso A Dama Dourada.

Mas não poderia deixar de contar para vocês que meu TCC sobre o artista viajante Hercule Florence já começou a render frutos valiosos e parte do meu trabalho foi publicado na revista de divulgação científica Ciência Hoje, com o título IMAGENS E AVENTURAS DE HERCULE FLORENCE.

Felicidade pura me define! Não deixem de clicar no link do título e ir lá conhecer um pouco do meu trabalho!

Até a próxima!

31 de Outubro – Dia do Saci Pererê

perere4-1

As bruxas que me perdoem, mas hoje o nosso Saci também reina. Em 2003 foi elaborado o projeto de lei federal nº 2.762 que indicaria o dia 31/10 como dia do nosso personagem folclórico preferido.

Para contar a história ninguém melhor do que Câmara Cascudo, que em seu Dicionário do Folclore Brasileiro descreve nosso personagem como:

” Entidade maléfica em muitas, graciosa e zombeteira noutras oportunidades, comuns nos estados do sul.

Pequeno negrinho, com uma só perna, carapuça vermelha na cabeça que o faz encantado, ágil, astuto, amigo de fumar cachimbo, de entranças as crinas dos animais, depois de extenuá-los em correrias. Durante a noite, anuncia-se pelo assobio persistente e misterioso, ilocalizável e assombrador. Pode dar dinheiro.

Não atravessa água como todos os “encantados”. Diverte-se criando dificuldades domésticas, apagando o lume, queimando alimentos, espantando gado, espavorindo os viajantes nos caminhos solitários.

Pererê-Turma-Ziraldo
Turma do Pererê – Ziraldo

Há muita documentação sobre o Saci, origem e modificação. Os cronistas do Brasil colonial não o mencionam. Parece ter nascido no século 19 ou finais do antecedente. Conhecemos aves com seu nome.

O carapuço vermelho é o pileus romano, e já Petrônio (Satyricon, 38) registrava a crendice romana do pileus do íncubo dar riqueza a quem o arrebatasse. O negrinho buliçoso, visível ou invisível, troçando de todos aparece no folclore português.

Muito obrigada Camara Cascudo por seu trabalho maravilhoso em registrar nosso tão riquíssimo folclore.

Bibliografia:

CÂMARA CASCUDO, Luis. Dicionário do Folclore Brasileiro. Ediouro Publicações S.A. 930p. 1954.